quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Já dizia o Poeta

Na lucidez do mundo, sigo no meu mundo.

O meu caminho é seguir em frente, não dá para voltar, regressar, só em pensamento.


Em um mundo onde a memória nunca existe para os menos favorecidos, num mundo decadente onde tem que ter intervenção alienígena, geneticamente estamos sendo modificados.

Mas o processo é lento.

Ainda há muita maldade no ar.

Muitos super presídios sendo construídos.

A medicina ajuda a quem tem mais.

Um mundo onde quem tem pode ter o que quiser.

Quem não tem, tem que ter o que conseguir, lutar e ferir.

A dignidade humana está, além de tudo, em contas de banco, valores, monetariamente vinculados com o poder de quem tem.

Quem não tem, tem nada a perder, tem nada a ganhar, nada a sorrir e nada a viver.

Os menos favorecidos, se realmente existisse algo além do horizonte, para onde iriam os que não tem nada?


O dinheiro aloja nas vísceras dos malditos e os amaldiçoados são drenados e sofrem, sentem dores, agonias, noites e dias sem dormir.

Mendigo, Andarilho, Maltrapilho, sem plano de saúde, sem trabalho, sem perspectiva, sem noção, sem fé e sem nada, caminham sem sentido, sem razão e sem perdão.


Uma nuvem que passa, a chuva que nunca chega e o sol que queima, mas ser digno é pior que isso.

Ser digno significa, não ter caráter, deixar o irmão cósmico sofrer com fome e dor, doente e sujo, imundo pelas calçadas da vida.

Ser digno é ter emprego e permanecer nele, nem que tenha que fazer o impossível para que isso aconteça.

A Bíblia, para que serve?

As Leis regem o quê?

Pra que serve tudo isso?

Para que o mundo gira?

A noite vem e o dia chega, tudo passa, tudo fica, tudo será esquecido, tudo será em vão.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.