segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Uma Carta para Paty

O que verão logo abaixo são frases reais de fatos que aconteceram.

Somente o nome Paty é puramente real.

Na verdade, os poucos nomes que provavelmente irão ler são reais, sem mudanças e nada de fatos fictícios, são puramente verídicos e aconteceram.

São memórias de um tempo recente a este, memórias que serviram de lição, de Amor e Carinho, com muita falsidade, mentiras à devaneio, muita inveja e discórdia, muitas coisas boas também...

Assim como a vida é para a morte, a causa também é para a consequência.

Iniciemos...

Poderia começar com "Querido Diário"...

Mas não é o seu nome.

Você foi minha última tentativa de ser feliz, foi minha última esperança de vida.

Não vou dizer que te Amo, pois não sei o que é isso.

Se Amor é se importar com a pessoa que está ao seu lado, fazer planos, tentar mudar de vida, ser o que nunca fui, então te Amo.

Poderia dizer que "Te Amava", mas o Amor é eterno...

Você tem outra vida, um novo marido, outro rumo.

As pessoas tem modos estranhos de comportamento, tem tantas coisas evasivas ditas sentimentais...

Eu sou um pássaro fora do ninho, um andarilho em meus pensamentos, com minhas ilusões, minhas fantasias de vida, sempre fui assim, preferir a ilusão, a não-realidade é meu forte, isso me faz bem.

Você precisa saber de muitas coisas que já sabe, mas omite.

As mesmas pessoas que me procuraram, quando estávamos juntos, as pessoas que falaram tão mal de você e pediram que eu "saísse fora" enquanto era tempo, são as mesmas pessoas que elogiaram seu novo relacionamento, dando a idéia de que nós dois éramos "um barco à deriva"...

Pessoas falam, afinal tem bocas para isso, mas palavras ferem, machucam e são como um câncer, ou pior que isso.

Você acreditou em tudo que lhes disseram, te disse mais de uma vez que o "falatório" ou fofocas podem estragar a vida de muita gente, conosco não foi diferente.

Mas, fazer o quê?

Se eu fosse dono de uma empresa fabricante de lajes, aí de sua região poderia ter até a "dona flor e seus dois maridos"...

O dinheiro corrói e instiga, corrompe pessoas sem caráter.

Eu não queria corromper nada, por isso sou pobre, afinal só quem tem dinheiro consegue ser feliz, mesmo que seja na pior falsidade.

Você, 19 anos mais nova que eu, mas será isso?

Eu, cheio de defeitos e imperfeições, além disso, sem dinheiro.

Como havia lhe dito, o dinheiro compra muito mais que pessoas, compra o caráter que já era desviado...

O dinheiro neutraliza os defeitos, torna as pessoas perfeitas...

O dinheiro é uma atitude que nunca merece respeito...

Te falei que ao unirmos, por parte de minha família e amigos estaria tudo bem, mas de sua parte nada ficaria bem.

Você se corrompeu por Luxúria, foi prostituída pelas imperfeições sociais que tornam as pessoas cabíveis de serem sacrificadas pela robotização de festividades, a diversão enrustida em forma de Egos.

Os egos da luxúria, da ostentação e incontáveis variáveis que a fizeram corromper.

Você se corrompeu, aceitável ao seu nível...

Apesar de não gostar de trabalhar, apesar de não ter ambição, uma ideologia, apesar de querer esperar a morte chegar, eu nunca havia notado nenhum defeito em você.

As coisas nunca foram como eu planejei que seria, fazer planos não é minha sina.

Sinto saudades de quando era criança, podia brincar com meus carrinhos, solitário, no quintal de minha casa, sem me preocupar com o fator mundano.

Sinto falta de quando deitava no colo de minha mãe e conversava com ela, mas minhas conversas sempre eram amargas e minha mãe chorava.

Certa vez, tinha uns 5 anos ou menos, deitei no colo de minha mãe e disse a ela que estava cansado de viver, estava triste.

Quando percebi, minha mãe chorava, na verdade ela queria me dizer que o pior ainda havia por vir.

Eu Amo minha mãe e meu pai.

Minha mãe se foi em 13 de dezembro de 2004, meu pai a acompanhou em 27 de junho de 2007.

Por muito tempo, após terem partido, tentei contactá-los por diversos meios, tudo em vão...

Apesar de, em toda minha vida, ter pesquisado as penumbras sobrenaturais que estão acima de nosso conhecimento, e também pesquisei muito a Ufologia, Discos Voadores e seus tripulantes...

Apesar de ter estudado muito a respeito cheguei a uma conclusão de que tudo isso é uma ilusão.

Espiritismo, ciências ocultas, ufologia, são formas de nos fazer ter fé de que nunca estivemos sós e que ao morrermos iremos a algum lugar.

Pois descobri que a morte acaba mesmo e a ufologia é somente egoísmo de não aceitarmos a hipótese de que estamos sós em tudo, estamos sós, somos só nós e quando morremos, acaba tudo, nada de espírito, nada de alma, nada de Deus...

As pessoas sempre me falaram que existem pessoas piores que eu, verdade, sempre há pessoas piores que você, o que isso muda?

Eu joguei tudo que tinha e perdi a aposta.

Eu tinha que tentar fazer algo para mudar minha vida.

Pesquisando muito, descobri que não é carma que eu tenho, é algo psicológico.

Tenho uma espécie de Altismo, por isso sempre fui só, fiquei só e estou só.

A interação com as pessoas é um tipo de altismo, fator psicológico, tipo "Munk", aquele do seriado.

Você estava certa, me pareço com Munk, tenho minhas coisas e só vou me desfazer delas ao morrer, não é ânsia de acumulação, é outra Doença.

Você não teve paciência, estava me curando, mas você é covarde, não gosta de lutar por seus ideais.

Você passou uma noite inteira na rodoviária de minha cidade, voltou para sua casa, depois veio de novo ao meu encontro, você foi muito valente, forte, mas depois decidiu que sua luta era em vão, quando eu estava me reestruturando psicologicamente, você me abandona.

Depois disso tudo ainda se faz de coitada dizendo que eu a abandonei.

Se foi você que me pediu para partir.

Eu contei à sua mãe que você me deu um banho de refrigerante de laranja em frente ao Mercado Crystal, verdade, mas não disse a ela que adorei.

Eu dizia aquelas coisas de submissão, mas era sincero, uma cidade onde as pessoas se sujeitam ao velho Coronelismo, onde se corrompem à hierarquias do tipo Senhores Feudais, isso é preocupante.

Um lugar onde a maioria não gosta de estudar, aprender para que possa se defender, lutar por dias melhores...

Isso é Submissão...

Um lugar onde um padeiro não pode abrir um padaria porque se abrir fica de mal com seu amigo padeiro, ficam inimigos...

Isso é muito mais que submissão...

Isso a incomodava, mas nada justifica o que fez.

Hoje, estou aqui, no Planalto Central, trancado em meu lar, ou meu túmulo, num calor de 42 graus e meio, esperando meu dia chegar.

Hipertenso, Diabético e sabe-se o que mais...

Só esperando meus dias terminarem...

Infelizmente as coisas não são como gostaríamos que fosse.

Quando me conheceu, falava que era igual ao seu avô, seu Waldemar, mas eu não sou ele, nunca iria substituí-lo.

Em 2011, quando teclávamos no Messenger, percebi pelas suas palavras, que havia sofrido ou havia passado por um trauma relacionado a Abuso Sexual, você mentiu, disse que não, sua primeira mentira.

Afinal, mentir é um hobby pra você e sua mãe.

Quando estávamos morando juntos, me contou que sofreu tentativa de abuso sexual.

Nunca te disse que estudei psicologia por um tempo, sou auto-didata.

Ah!!!

Disse que você e sua mãe são profissionais em mentir, são mais que isso, falsas também...

Sua mãe, com aquele papo de mercearia, só mentiras...

Mentiam para seu padrasto, Damásio, ainda devem mentir muito pra ele...

Me colocaram neste meio, mas se ainda tivéssemos juntos eu iria abrir os olhos dele, com provas e tudo o mais, vocês o usam para que seus objetivos se concretizem, queriam fazer isso comigo e quase o fizeram...

Quando viu que eu não era como vocês, me dispensou e depois ficou colocando vídeos no youtube e frases que tentavam me atingir nas redes sociais...

Você e sua mãe são uma farsa.

Sua mãe nunca teve Bexiga Caída, quando estávamos aqui, no Planalto Central, você mentiu pra mim dizendo que sua mãe estava muito mal e precisava de cirurgia, precisava de você e me disse que tínhamos que voltar novamente para aquele lugar, eu sabia que era mentira, e voltei com você, pois esperava que você mudasse, que fosse mudando seus "hábitos" com a mentira.

Nada, tudo em vão...

Antes de ir à Capital do Oeste Paulista morar com você, eu dizia se Tupã era uma cidade perigosa.

Você me disse que nada de mortes ou assaltos acontecia por lá.

Mentira, no mesmo dia que lhe perguntei ao Messenger, havia pesquisado na internet e vi um vídeo no youtube de 3 ladrões que tentaram assaltar uma casa a poucos metros de sua casa e um deles morreu baleado bem em frente à sua casa, casa de sua mãe...

Não te disse nada, esperei você me dizer a verdade, nunca me disse.

O que me falou foi de uma senhora que foi brutalmente assassinada na sua própria casa.

Essa senhora morava há duas casas descendo a rua onde morava.

Você vive num mar de mentiras, se seu novo marido for como você, vão se afundar juntos.

Deixei muitas coisas aí quando vim para cá, aqueles três rádios transceptores da Motorla fazem muita falta, sem falar nas outras coisas...

O Pé de limão deve estar grande, se não cortaram...

Mas o que me faz muita falta são as pessoas que conheci por aí, pessoas boas, que são poucas na região, pessoas sem nada, sem bens, sem muito a perder e que valorizam suas vidas.

Mas por aí existem muitas pessoas más, caloteiras, vadias, pilantras, pra uma cidade tão pequena, tem muita gente ruim.

Mas as pessoas de bom coração amenizam a ruindade de pessoas sem escrúpulos...

Não tenho nada aqui, só uns blogs, como disse, estou esperando a morte chegar, não posso fazer mais nada para mudar minha situação.

Se isso a faz sentir bem, meu fim é uma questão de tempo, horas ou dias...

Esperei muito de você e só tive decepção.

Que pena.

Eu queria ganhar, mas perdi a aposta...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.