sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Dizeres da Vida

Já fui um sociopata, psicopata, ébrio, um sonhador.

Na vida fiz de tudo, dentro dos parâmetros legais do moralismo.

Estudei Magia Branca, Magia Negra, Magia Elemental, Magia Espiritual, Wicca e outras mais.

Sei de muitas coisas que até os Magos duvidam.

Já estudei, passei de ano Letivo, Reprovei em Anos Letivos, Estudei por Correspondência, fiz de tudo um pouco e de nada sei.

Se o sol amarela e a lua fica prata, as nuvens também mudam de forma e cores.

Minha mente exorbita a algures do inconsciente, em minhas viagens astrais inconscientes os sábios me dizem o que não sei e me mostram o que eu não queria ver.

Aqui na Terra, Plano dimensional instável, lugar umbralino onde a maldade jorra pelos ladrões do desespero.

Crimes brutais acontecem nesse planeta, cabeças decepadas, corpos mutilados, pessoas que nem sequer sabem o que fazem.

Um planeta onde o melhor ambiente é aquele onde gera rendas, poder aquisitivo impera.

Um lugar onde a miséria gera miséria e nobreza gera nobreza.

Estamos no Caos transtornado por tantas coisas que nos fazem passar.

Minha Mãe se foi, nas mãos de médicos materialistas e consumistas, sem valores e sem dogmas.

Meu Pai se foi, nas mãos de pessoas que cursaram medicina somente pelo dinheiro...

A criança chora, o cachorro late, a Mãe ampara e o bebum dorme na calçada.

É a mesma rotina, ninguém faz nada pra mudar.

Eu tentei, mas cansei de lutar.

Estou perto de desencarnar, bem próximo de embarcar no Trem ao infinito...

Preparado?

Nem um pouco, apenas aguardo.

Já sonhei, já lutei por dias melhores, mas dias melhores de quê?

As pessoas confundem dias melhores com dias piores.

Dias melhores, são dias de Paz, a riqueza está dentro de cada um, que tenha essas consciência.

Dias piores, são aqueles onde o poder e ambição se fundem, elevando o Caos diante da escuridão do Ego.

Eu fui filho, mas não serei Pai.

Sou Tio, mas não serei Avô.

Nasci e vou morrer, só isso.

Entender tudo isso é fácil, a resposta está em você.

Fazer o mal é bom, fazer o bem é vergonhoso.

"Perder Dinheiro" ajudando alguém é motivo de chacota, chamam isso de "Otário, Idiota", e essas coisas.

Jesus ensinou tanto, seus ensinamentos foram ocultados, pois não era pras pessoas saberem.

Existem ensinamentos que foram ocultados, porque o conhecimento gera poder.

Infelizmente as pessoas confundem conhecimento com outros vínculos da sabedoria.

Ser Sábio não necessita da inteligência de Escolas Superiores.

Tem tanta gente que não sai de dentro de instituições educacionais e são pessoas tão mal educadas, pessoas que tratam seus semelhantes com desprezo.

Os Sábios que estudam sabem como proceder com seus semelhantes.

Sabemos que estamos em processo de extinção e ainda existem pessoas soberbas.

Na alquimia é que se desdobra a consciência, a Alquimia não se limita somente a tubos de ensaio e as Químicas materiais, na Alquimia se entende tudo, do Material ao "Imaterial".

Existe o Oculto, pois tem coisas que muitos não devem saber, mas não por ser proibido, é que saber o que não entende ocasiona o Caos patético do Ser que se limita ao cotidiano social.

Muitas, mas muitas pessoas neste Planeta, vivem como robôs, marionetes de um sistema falido que ainda insiste em escravizar mentes.

A burrice não se aplica a quem não pode estar numa sala de aula, mas ao entendimento errado das coisas da vida.

Muitas vezes, vemos o Errado, mas o Errado pode, muitas vezes, ser o Certo.

Não julgo pessoas, seja qual for seu Erro, pois não cabe a mim essa regra.

Já andei ao lado da Morte e ainda estou com a Vida, Vida e Morte, duas irmãs inseparáveis, duas desiludidas que faz da vida uma ilusão.

A semeadura da Morte é a Vida.

Já sorri, já chorei, perdi meus Pais, perdi minha dignidade, ganhei alguma coisa?

Saúde debilitada, idade avançada, a iminente esfera Espiritual me espera.

O que ganhei, o que perdi, solucei de dor, corri da sorte, não sei o que é Amor.

Nos tropeços da vida, só fiz aprender, de nada ensinei.

De tantos amores, uma Eu perdi.

De tantas lamentações, horrores sofri.

Na trágica ressurreição, na hipnótica esperança, o sopro da vida, interrogo as coisas que sonhei, indago os pesadelos calados, sozinho em meu Lar, a noite me acalenta.

Melancolias à parte, entre lágrimas ininterruptas, nesta cadeira fria, em frente ao computador, expresso o que penso, sinto, nas mais bregas sinfonias do silêncio.

Da vida nunca esperei nada, a derrota é para os fracos, mas quem nunca conseguiu lutar?

O silêncio rodeia e dá calafrios, a mente começa a retroceder, uma tosse, dentre tantas, uma visão divina do que há por vir, na roda que gira o mundo, nas engrenagens da tortura, o que mais ainda espero de tudo isso?

Estudei, sonhei, fiz de tudo para ser respeitado, era só isso, e mais nada.

Entre juras e falsos testemunhos, na surdina do tempo, nos desamores amargos sofridos, na perpetuação da consciência...

Ainda respiro...

Lembranças alimentam e me distraem.

O calor sufocante me faz lembrar do que sou e onde estou.

As dores da vida, os amargos sonos forçados, a intransigente semana se acaba, mais um dia se foi, a noite prepara o clarão do sia seguinte.

Lembro de meus Pais, minha vida de outrora, as amizades que passaram, os(as) amigos(as) que se foram.

A surdina noite, o zumbido no ouvido, a surdez que se aproxima, o frio amargo da solidão.

O desemprego está consumindo, o trabalho não existe mais.

Não sou inválido, tenho pernas, braços e mãos, uma mente brilhante, mas não é assim que os "outros" me veem.

Preconceito e vaidade, assim caminha a humanidade.

Destruindo sonhos de quem ainda quer viver.

Já brinquei, já fui criança, já fui o que hoje não sou mais.

Entre doenças e contradições, ainda procuro uma brecha nisso tudo, enquanto meu coração bater, terei que lutar.

A alimentação é "monoteísta", macarrão, pão e café, o leite já foi problema.

Uma irmã me ajuda, os outros seis não querem nem saber.

Somos sete de um casal que poderia ser feliz.

Um casal que faltava tudo, dinheiro, psicologia, instrução de vida, mas nos criou, isso é que importa.

Aqui estou, esperando que você ainda esteja lendo esta.

Aqui estou, não penso mais, futuro só ao acaso.

Aqui estou, com vontade de comer, não sei se faço um macarrão ou como pão com café com leite.

A glicose nas alturas, não há mais diferença.

A indução divina me avisa que está na hora de rezar, ave maria e pai nosso, isso me conforta, há mais de um ano não sabia rezar, nada mesmo.

Pensei, isso deve ajudar.

Então colei na parede uma oração do Pai Nosso e outra da Ave Maria.

No início fez efeito, mas agora não há o que pensar.

Não tenho Religião, não sei bem o que é isso.

Mas tento firmar meu pensamento em algo, pois as coisas podem mudar, é assim que penso.

Hoje meu tempo é dedicado aos Blogs e vídeos do Youtube, só posto vídeos legais, poucas visitas ocorrem, as pessoas querem coisas fúteis.

A futilidade é a nova ordem, coisas estranhas e bizarras, um dia isso acaba.

Quando é ensinamento, algo que vem do coração e até informação saudável, isso não agrada à massa...

Finalizo esta, finalizo com emoção, pois os dias são raros, a vida mais ainda...

Há outra vida, outros meios de continuar, um dia saberei, pois todos vamos pra lá.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.